sábado, 28 de agosto de 2010

Lucinha Lins: a vaia que gerou dividendos.

Curiosidades da Música Popular Brasileira.

Em 1981, a fórmula dos festivais de canções já agonizava, mas a TV Globo ainda conseguia boa audiência ao lançar o Festival MPB Shell. O resultado final, considerado um dos mais polêmicos da história dos festivais, gerou dividendo para dois importantes protagonistas do evento: Lucinha Lins e Guilherme Arantes.
A decisão do jurados, para manter uma velha tradição de festivais, foi discutível: venceu a música “Purpurina” do gaucho Jerônimo Jardim, uma bela música, mas sem atrativos para o estilo dos festivais. A intérprete, a atriz e cantora Lucinha Lins, pagou um alto preço pela vitória. 

O Brasil todo queria “Planeta Água”, música de Guilherme Arantes, classificada em segundo lugar. A canção tinha, como argumento, um tema de forte apelo ecológico: a relação do planeta com um dos seus principais recursos naturais: a água. 

A vitória de “Purpurina” revoltou a platéia do Maracanãzinho. O público, insatisfeito com o resultado, aplicou uma das mais impiedosas e constrangedoras vaias a uma intérprete. De nada adiantou a solidariedade do cantor Ivan Lins, à época, esposo de Lucinha, que subiu ao palco e ficou ao lado aplaudindo, em vão, a companheira hostilizada. A cantora, sempre afinada, desta vez sentiu o impacto e mal conseguiu cantar a música no tom correto. 

Lucinha Lins, em uma entrevista a Jô Soares, admite que Purpurina foi “uma zebra de festival”. Confessou, bem-humorada, que ficou com o som incômodo dos impropérios na cabeça por alguns dias, mas que o transtorno teve o seu lado positivo, pois teve uma grande mídia gratuita ao virar vítima: “...todo mundo queria saber como estava a pobre,desgraçada, da vaiada da lucinha Lins...” disse entre risos. 

Embora de forma cruel com a artista, que não tinha culpa da decisão dos jurados, a história mostra que o público tinha razão na preferência: enquanto Purpurina caiu no esquecimento, Planeta Água se transformou em um estrondoso sucesso, uma espécie de hino ecológico que alavancou a carreira do seu compositor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

4 comentários:

  1. Camarada Ricardo. Somos privilegiados por termos vivido e assistido esse episódio bem de "pertim".

    Como música, "Planeta Água" é quase perfeição.

    Como idéia, é perfeita! Não que "Purpurina" seja uma música ruim mas é que o Guilherme que por acaso está hoje em Fortaleza, é um compositor popular muito acima da geléia geral.

    ResponderExcluir
  2. salve, ricardo,

    lembro bem da "revolta" popular com o resultado do festival. foi motivo de discussões intermináveis regidas à cevas noites a dentro. a velha globo com a mania de manipular tudo que faz e a gente caindo na conversa, mas que foi uma boa lembrança, lá isso foi.

    abçs

    carlos anselmo

    ResponderExcluir
  3. Gente voces não tem idéia do que se podia ouvir da platéia do maracanãzinho quando ela começou a cantar...Eu era criança, e não me esqueço dos milhares de xingamentos, a revolta era muito grande por " Agua " ter ficado em segundo lugar pra uma musica (perto da musica de Guilherme Arantes) que era mediocre naquele momento....Fico até hoje imaginando como Lucinha Lins teve a coragem de voltar pro palco e cantar " Purpurina " ciente de toda "MARMELADA!". Ninguem engole esse papinho de que a culpa foi dos jurados ou deu zebra.Ouça as duas musicas, e mesmo não conhecendo nada de musica voce não tem coragem de votar em " Purpurina " como melhor.Foi um desrespeito com o púplico que considerava até então aquele festival alguma coisa que prestasse ainda no Brasil naquele tempo....

    ResponderExcluir
  4. Não duvido que a escolha dos jurados tenha sido direcionada pela Globo.Uma espécie de revival de "Sabiá" mas propositalmente com a intenção de causar e repercutir o festival.

    ResponderExcluir