sábado, 17 de abril de 2010

O primeiro disco gravado no Brasil.

Curiosidades da Música Popular Brasileira.

O primeiro disco brasileiro foi gravado em 1902, pelo cantor Manuel Pedro dos Santos, mais conhecido como Bahiano (1870-1944), natural de Santo Amaro da Purificação, terra dos também baianos: Caetano Veloso e Maria Bethania.

Bahiano (foto) entrou para história da música brasileira ao gravar o Lundu “Isto é Bom”, de autoria do compositor Xisto da Bahia (1841-1894), por decorrência, o primeiro compositor a ter uma música gravada no Brasil.

Comento: O disco foi lançado comercialmente pela Casa Edison do Rio de Janeiro, do empresário de origem Tcheca Fred Figner (1866-1946), que depois viria a criar a famosa gravadora Odeon.

Os discos, na época, eram feitos de ceras de carnaúba e reproduzidos em gramofones que funcionavam a corda. Para gravar era utilizada apenas a energia mecânica, os cantores deviam ter vozes potentes e cantavam praticamente gritando para terem suas vozes captadas pelas máquinas de gravação.

Apesar de ser atribuída a Bahiano a honra de ser o primeiro a gravar um disco no Brasil – o N° de série do seu disco Zon-O-Phone era 10.001 - no ano de 1902 também foram lançados, simultaneamente, várias chapas para gramofones - um total de 228 - interpretados, na maioria das vezes, além de Bahiano, por Cadete, outro famoso cantor da época, e pela Banda de música do Corpo de Bombeiros. Existe ainda, no mesmo período, registro de 14 discursos de personalidades, estes lidos por locutores da casa.

O áudio abaixo apresenta a gravação pioneira de “Isto é Bom”. A qualidade da gravação é precária, mas apaixonante pelo seu valor histórico.

Fontes: História da ODEON (cedido gentilmente pelo meu amigo Carlos Anselmo)
Uma história da música Popular Brasileira. Severiano,Jairo. Editora 34 Ltda.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

16 comentários:

  1. aletra e ruim mas amelodia ate que vai

    ResponderExcluir
  2. Pooo bota games nao coloca isso de musica nao :/

    ResponderExcluir
  3. Muito Bom Gosteiii..!

    ResponderExcluir
  4. Muito bomm Gostei esse dai e do bom..!

    ResponderExcluir
  5. Oi Ricardo, estava fazendo uma pesquisa e me deparei com essa matéria. Gostei tanto que compartilhei o link no facebook.

    Moro no Rio e fiquei fã do seu blog.

    Deixo aqui um link, caso vc queira conhecer um pouquinho do meu trabalho.

    soundcloud.com/valerialobao

    Um grande abraço, Valéria Lobão

    ResponderExcluir
  6. aprendi muito ;gostei da materia.

    ResponderExcluir
  7. Eu gosto da parte qdo diz: Os padres gostam de mocas kkk naquela epoca a sacanagem ja rolava na Igreja Catolica. Excelente musica, deveria ser regravada pela turma de hoje.

    ResponderExcluir
  8. Manoel Pedro dos santos neto15 de maio de 2012 20:50

    Meu nome é Manoel Pedro dos santos neto sou o neto do cantor baiano Manoel Pedro dos santos,o meu pai sempre falou sobre ele e falava sobre a canção a baratinha. Gostei muito em ve-lo a sua foto,pois é a copia do meu pai. Carlos bugre dos santos.filho de Manoel Pedro dos santos e Almerinda bugre dos santos.gostaria muito de recebe noticias de sua historia por Email.pedromanoel25@hotmail.com, gostaria de conhecer a bisneta dele que li quando consultava a historia dele

    ResponderExcluir
  9. Meu nome é Manoel pedro dos santos neto,ficarei muito feliz em conhecer mais a sua história.Meu pai sempre falou sobre ele.deixo meu email:PEDROMANOEL25@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. cara isso é incriivel... muito bom mesmo
    fica meu agradecimento ao responsável pela matéria!!!
    eu fico tentando imaginar como era o estúdio, quais as técnicas envolvidas, e as criticas da época quanto a gravação... como deveriam ser hem?!
    sensacional mesmo!!!!!!!
    Rodrigo Bastos P.F.

    ResponderExcluir
  11. Há quem diga, que Santo Amaro da Purificação só é conhecido por causa de Caetano e Bethânia,precisa ler muito mais sobre esta terra, Tia Ciáta, Mano Dércio da viola, Tia perciliana, Assis Valente e tantos outros que ainda não foram divulgados, são provas que o SAMBA é mesmo coisa desta terra.

    ResponderExcluir
  12. a musica é um lixo manow

    ResponderExcluir
  13. Muito legal ler informações sobre meus conterrâneos, pessoas que fizeram diferença no mundo artístico, levando a riqueza da cultura baiana santamarense para o mundo. Muito boa sua matéria! E quem fala que a música é um lixo, é pq não entende p/n de música

    ResponderExcluir
  14. Cara, parabéns pela matéria. Estava pesquisando sobre a gravação dos Blues mais antigos (1930/1927) e me deparei com a música brasileira 1902. Fantástico!!

    ResponderExcluir
  15. isto é bom, isto é bom,isto é bom

    ResponderExcluir