domingo, 23 de agosto de 2009

Belos poemas que viraram músicas – Traduzir-se – Ferreira Gullar/Fagner.

Continuando a série - “Belos Poemas que Viraram Músicas. A escolhida de hoje é “Traduzir-se”, poema de Ferreira Gullar publicado em 1980, no livro “Na vertigem do dia”. O poema foi musicado com grande competência por Fagner, em 1981.

Comento: Embora tenha colocado, com rara beleza, a letra no clássico “Trenzinho do Caipira”, de Villa Lobos, o poeta do Maranhão declarou não ter muita habilidade para colocar letra em música já pronta, o inverso, no entanto, é verdadeiro: a poesia de ferreira Gullar é extremamente musical, muitas até parecem que foram feitas especialmente para serem musicadas.

O próprio Fagner, um amigo e admirador da obra Ferreira Gullar, trabalhou, pelo menos, mais quatro poemas do poeta maranhense, são eles: Contigo, Cantiga para Não Morrer (me leve), Menos a Mim e Rainha da Vida. Raimundo Fagner, como eu, certamente não acredita na incapacidade do poeta em colocar letra em música pronta, certa vez, o cantor cearense encaminhou um CD com várias músicas para que Gullar colocasse a letra, sobre este assunto o poeta declarou:

“O caso do Fagner é diferente, ele me procurou, ele buscou meus poemas e nos tornamos amigos. Eu gosto muito dele, tenho uma grande amizade por esse cearense. De vez em quando ele me liga ou me escreve, até me pediu outro dia para que eu colocasse letras numas músicas que ele enviou num CD – por problemas técnicos a mídia não funcionou, ficando eu impossibilitado de ouvir as músicas”. Infelizmente não consegui saber os desdobramentos, o certo é que Gullar ainda presenteou Fagner com várias traduções e versões de músicas estrangeiras, entre elas, a popular “Borbulha de Amor” (Borbujas de Amor) do dominicano Juan Luis Guerra.

Em relação a “Cantiga Para Não Morrer” - poema publicado no livro "Dentro da Noite Veloz - a primeira vez que li o texto, há pelo menos 30 anos, me apaixonei imediatamente pela beleza dos versos e, consequentemente, não foi muito difícil colocar a música. Foi a primeira, das duas musicas que fiz na minha curta e improdutiva trajetória de compositor amador.

O vídeo apresenta uma bela interpretação de Adriana Calcanhoto para Traduzir-se.



Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

2 comentários:

  1. muito bom...
    gostei muito,acho bem legal poemas que viram musicas,isso e bem interessante!

    ResponderExcluir